Arquivo do mês: março 2009

(Sem nome)

Queria tanto escrever um conto. Queria personagens só meus, um enredo de aventura, drama, suspense, qualquer um. Palavras que sairiam dos lábios do meu lápis; perseguições, tiros, lágrimas, despedidas que só apareceriam só no meu papel. Queria escrever um poema. … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Minhas fumaças, Prosa | 3 Comentários

Antro de…

Se eu já não soubesse, diria que eu tinha sido enganado. Tantas mentiras para nada, tanto esforço e minha noite de sono ainda vai ser tranquila. Essas pessoas que passam, fantasmas sem sombra que me esbarram, só passam. São só … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Areia, mar e um violão…

Queria é sair por aí… um violão, meus chinelos e o sol a pino. Uma praia qualquer, areia vazia, um mar silencioso, tocando meu violão com os pés na água. Queria mesmo é um paraíso tropical, violão ao fundo, moças … Continuar lendo

Publicado em Minhas fumaças | 2 Comentários

Top 5 da Semana

1. Foo Fighters – Razor 2. A.L.O. – Girl I Wanna Lay You Down 3. Chillwalker – Costa del Sol (Sunshine remix from “Louge del Mare”) 4. Blockhead – Sunday Seance 5. The Beatles – I Want You (She’s so … Continuar lendo

Publicado em Música, Playlist da Semana | Deixe um comentário

Sumiço…

Aos poucos mas fiéis leitores do meu blog, peço desculpas pelo sumiço. A faculdade anda matando mais que o espírito, também alguns milhares de neurônios. Bem, talvez pelas 4 horas de sono diárias… Nesse fim de semana volto à ativa … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

auto(?)-controle

São nuvens de chuva lá fora. Aqui dentro também. Vozes que crescem, egos que inflam. Vai ser feio. Do conspirar sussurado ao acusar gritado pouca coisa muda, o que me preocupa são as mãos. Só me concentro nas mãos. Vazias, … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Minhas fumaças, Prosa | Deixe um comentário

(Sem nome)

São essas coisas que me deixam louco, não o de sempre. Esse andar vacilante, indeciso em metro e passo, dissoa do barulho da avenida. É, aquele velhinho que marca a valsa com a bengala, de todo o resto que passa … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Minhas fumaças, Prosa | Deixe um comentário